O que é Trabalho Decente

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), trabalho decente é “um trabalho produtivo e adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, igualdade e segurança, sem qualquer forma de discriminação, e capaz de garantir vida digna a todas as pessoas que vivem do trabalho”. A Agenda do Trabalho Decente é norteada por quatro eixos principais: liberdade de associação e organização sindical, eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou obrigatório, abolição efetiva do trabalho infantil e eliminação da discriminação em matéria de emprego e ocupação.

O seu endereço de email não será publicado
Para preservar seu nome utilize um nome fictício
Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

2 respostas a O que é Trabalho Decente

  1. bruno disse:

    ola boa noite sou funcionario da CNH nao aguento mais assedio moral dentro da fabrica quanto nos queria acordo de salariais melhores tambem condicoes de trabalho poderia ser melhor cada ano que passa sempre tem assedio moral CNH NEW ROLLAND TDS chefia sempre ameca nos ser demitido vou citar nomes que eles ameca trabalhores CNH supervisor silvio sell e tambem condutores pesin e boi e tambem antonio meira e o sergio esse pessos sempre amecaou trabalhores CNH espero toma medida cabiveis tomar outra atitude de esse chefia pra nao fazer isso com nos mais e eles manda nos trabalhar igual cavalo eles nao tem respeito ao trabalhores na hora de conquistar PLR E ACORDO SALARIAIS eles sempre ameacou nos ja teve alguns companheiro foi demitido desse chefia por causa nos ficamos protesto por 2 horas la fora pra que empresa melhorasse PLR apos disso da conquita veio a demissao orbitraria espero ministerio publico toma medida possivel esse nome citado att agradeco pela compreesao obrigado.

  2. Frank Slade disse:

    Primeiramente, farei um elogio a grande empresa em que atuo: a CNH. Todos nós temos consciência de que ela, a CNH, está entre as melhores empresas do Paraná. A firmação desses longos anos em nosso estado só demonstra o quanto ela é – ou foi – importante na vida dos vários e vários funcionários que passaram, ou, que ainda continuam a fazer parte dessa grande empresa.
    Mas, os longos anos deixaram ela um tanto sonolenta. A “vecchia signora” do nosso estado adormeceu. Adormeceu quando o mundo, as pessoas, a cada dia tem um novo despertar. No despertar do mundo, a CNH Curitiba esteve adormecida.

    Todas as grandes empresas no mundo tem como base estrutural a profissionalização de todos os setores: do braçal ao estratégico. Cada qual à sua maneira.
    Garantia de sucesso não é mais o resultado final, e sim, as maneiras de como atingir o resultado final de forma ordenada e profissional. O que vemos na CNH hoje, infelizmente, vai na contramão do progresso da profissionalização. Existe um distanciamento visível entre setores dos quais deveriam atuar juntos. Justamente por não haver o laço estratégico e operacional, o resultado é a carência de soluções quando os problemas aparecem.
    Para exemplificar um dos problemas, basta olharmos quando condutores ou supervisores optam pela contratação de “fidelidade”. Fidelidade essa, acima do profissional capacitado. O Nepotismo não pode, de forma alguma, fazer parte de uma corporação séria. O resultado é o que vemos diariamente na CNH: incapacitação, descaso e vista grossa.
    Uma das maiores complicações das empresas hoje é garimpar bons trabalhadores. Seja qual empresa for, essa dificuldade é compartilhada por todas. Acrescente maiores dificuldades num ambiente onde o nepotismo é presente. As qualidades individuais são tampadas por uma nuvem negra que impede o olhar mais atento de pessoas que deveriam angariar essas qualidades. O resultado, novamente, é a falta de profissionalismo. O resultado da falta de profissionalismo: insatisfação. A insatisfação não altera somente os resultados em números, ela altera o comportamental da empresa. Promessas não cumpridas, falta de diálogo, imposição de afazeres(exemplo sábados), carência de dinamismo são alguns exemplos da extensa lista de precariedade que a não existência de bons profissionais pode acarretar.
    Gostaria de ter esse espaço e poder dizer isso diretamente a empresa. Mas a comunicação é outro ponto falho da mesma. Se o SMC tem a intenção de melhorar as condições de trabalho dos funcionários da CNH, devem vocês estar atentos ao que foi citado. O RH tem o compromisso de saber a verdade. Basta direcionarem o foco. Creio que a mudança para um melhoramento geral partem dessas premissas.

    Que fique bem claro. Potencial, todos reconhecem que existe, quando se trata de CNH. Porém, a dificuldade de reformulação é uma coisa bastante complicada. Mexer nas estruturas arruinadas requer muito trabalho e esforço.
    Que essa crítica não seja vista de forma pejorativa. Essa crítica tem como “voz” todas as vozes não ouvidas.